Alfredo da Matta 02

Dr. Alfredo da Matta nasceu em Salvador, Bahia, em 18 de março de 1870. Filho de Joaquim Francisco da Matta (major) e Leopoldina Carolina da Matta, realizou seus primeiros estudos em sua cidade natal onde, mais tarde, se formou na Escola de Medicina da Bahia, em 8 de dezembro de 1893.

Em 1894, foi nomeado médico da Empresa de Navegação Loyd Brasileiro, seguindo viagem até Manaus onde casou e fixou residência.

Especializou-se em Medicina Profilática e em Dermatologia e em 1908, ao lado dos doutores João Coelho de Miranda Leão e Wolferitan Thomas, foi um dos que trabalhou no combate ao impaludismo (doença contagiosa produzida por um protozoário) e a peste bulbônica, doenças que assolavam a capital e o interior do Amazonas; visitando os municípios de Itacoatiara, Barreirinha, Parintins e Maués.

 

Na área da saúde, exerceu inúmeros cargos públicos tais como:

  • Diretor do Serviço de Higiene de Manaus;
  • Diretor Clínico da Santa Casa de Misericórdia de Manaus;
  • Diretor do Hospital Beneficente Portuguesa do Amazonas;
  • Diretor do Serviço de Profilaxia da Lepra e Doenças Venéreas e
  • Médico do Asilo de Mendicidade, atual Fundação Dr. Thomas.

 

Destaca-se também seu trabalho na política amazonense, como:

  • Deputado Estadual (1916 a 1922)
  • Presidente da Assembléia Legislativa (1917 a 1920)
  • Deputado Nacional Constituinte pelo Amazonas em 1933
  • Senador da República (1935 a 1937)

 

Publicou inúmeros trabalhos científicos, entre eles merecem destaque:

  • Flora Médica Brasiliensis: plantas medicinais da Amazônia e especialmente do Estado do Amazonas;
  • Geografia botânica do Estado do Amazonas;
  • Parasitose agrícola: larvas que inutilizam o guaraná;
  • Insetos úteis e prejudiciais à lavoura;
  • Patologia amazonense;
  • Tricocefaloses, que foi sua tese de doutoramento com a qual ingressou na Academia Nacional de Medicina;
  • Geografia e topografia médica de Manaus;
  • Os sintomas iniciais das leproses: seu contágio e evolução relativamente rápida (1929).

 

Dr Alfredo da Matta faleceu no Rio de Janeiro em 3 de março de 1954. No ano seguinte, no dia 28 de agosto, em uma justa homenagem por todo o trabalho dedicado em prol da saúde pública do Amazonas foi inaugurado, em Manaus, o Dispensário “Alfredo da Matta”, dando início à instituição que hoje é a Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia “Alfredo da Matta”.